14.07.2018 | 21h37

Aécio atuou para maquiar dados, diz PF

Em relatório enviado à Procuradoria-Geral da República, a Polícia Federal acusa o senador Aécio Neves de atuar para maquiar dados o Banco Rural que deveriam ter sido entregues à CPMI dos Correios em 2005. Segundo a PF, o tucano, enquanto governador de Minas, atuou em conjunto com Delcídio do Amaral para dar mais prazo ao envio dos dados, permitindo a maquiagem em contratos de empresas do publicitário Marcos Valério. Assim, a CPMI não poderia ligar a gestão tucana a crimes operados a partir das fraudes das empresas do publicitário com o banco, segundo o Blog do Fausto.

De posse do relatório, a PGR enviou manifestação para o relator do caso no STF, o ministro Gilmar Mendes, pedindo que o caso seja encaminhado para primeira instância, como manda a limitação ao foro privilegiado.


VOLTAR PARA O ESTADÃO