30.10.2018 | 07h14

Aberta a corrida pelo cargo de ‘opositor’

Com as urnas fechadas e Jair Bolsonaro eleito uma nova corrida parece ter se iniciado entre alguns dos presidenciáveis derrotados: quem conseguirá se firmar como maior opositor do presidente eleito. Enquanto o candidato vitorioso dava suas primeiras entrevistas na noite da última segunda-feira, ao menos três ex-candidatos repetiram o que fizeram durante boa parte do 1º turno e foram a internet se colocar contra as polêmicas do deputado.


Marina Silva, que parece não querer mais escutar que ficou longe dos holofotes fora do período eleitoral, classificou como “preocupante” o presidente reforçar suas ideias armamentistas. Geraldo Alckmin se posicionou contra as críticas de Bolsonaro à imprensa e disse que o vencedor nas urnas quer “clientelismo” ao invés de “liberdade”.  Guilherme Boulos não gostou de ouvir novas restrições ao MTST e ao MST que Bolsonaro pretende impor: “É importante que saiba que não se acaba com movimento social com decreto ou violência”, disse.

VOLTAR PARA O ESTADÃO