07.02.2019 | 18h02

A volta dos cassinos ao Brasil? (2)

Um dos mitos das proibições dos jogos de azar no Brasil, que ocorreu no governo Dutra, é que o então presidente emitiu o decreto muito em função de sua esposa, Dona Santinha, católica fervorosa e contrária aos jogos. Apesar da força da ala religiosa neste governo, o deputado Paulo Azi acredita que o Congresso está mais aberto à questão. “Sinto que cresce entre os parlamentares o sentimento que o Brasil não pode prescindir de uma atividade econômica que está consolidada na maioria dos países do mundo, e que trará para o nosso País altos investimentos, gerando milhares de empregos e receita com o recolhimento de impostos”, disse.

A ideia, segundo Azi, é estimular o turismo no Brasil. Na proposta apresentada pelo parlamentar, os resorts poderiam abrir unidades de cassinos em suas dependências de acordo com o número de habitantes: Estados com até 15 milhões de habitantes poderiam ter um cassino; entre 15 milhões e 25 milhões, seriam dois cassinos. Estados com mais de 25 milhões teriam até 3 cassinos. No projeto, ele destaca também a importância do governo adotar “políticas, procedimentos e controles internos de prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo”. Em 2014, o deputado Ciro Nogueira (PP-PI) tentou a regulamentação, mas o projeto acabou arquivado.


VOLTAR PARA O ESTADÃO