16.09.2018 | 08h38

A vergonha do elefante branco da Copa no DF

As obras da Copa do Mundo no Brasil provocaram escândalos desde 2014 e seguem causando vergonha. O estádio Mané Garrincha, em Brasília, custou absurdamente R$ 1,5 bilhão e está cercado de acusações de superfaturamento. Como na capital o futebol local tem pouco destaque, o elefante branco serve apenas para sediar shows e partidas de equipes de fora, numa tentativa de faturar algum tipo de rendimento.

Neste sábado, faturaram mesmo foi mais um vexame. Enquanto Flamengo e Vasco se enfrentavam, o jogador vascaíno Bruno Silva se machucou seriamente e precisou ser retirado de campo na ambulância. E aí, veio a nova vergonha. A ambulância do estádio de R$ 1,5 bilhão não pegava e precisou ser empurrada pelos jogadores para pegar no tranco e socorrer o atleta.


Mais conteúdo sobre:

Copa do Mundosuperfaturamento
VOLTAR PARA O ESTADÃO