03.04.2018 | 17h35

União improvável

Uma boa parte dos integrantes do Livres, movimento que defende o liberalismo na economia e nos costumes, aderiu ao PPS, o sucedâneo do antigo Partido Comunista Brasileiro (PCB), dirigido pelo ex-deputado e ex-senador Roberto Freire. Além de Paulo Gontijo, presidente do Livres, que deverá ser candidato a deputado estadual pelo Rio de Janeiro, já está definido que o PPS receberá integrantes do grupo em outros estados, como Paraná e São Paulo. Pernambuco pode engrossar a lista.

Criado dentro do PSL, o movimento deixou o partido após a chegada de Bolsonaro e o anúncio de que o “capitão” deverá ser o candidato da sigla à Presidência. Depois disso, o Livres liberou sua turma para migrar para outros partidos. “Não dá para negar que há diferenças entre nós”, afirmou Gontijo ao BR18. “Mas o PPS está se abrindo aos movimentos de renovação política e manteve-se afastado dos escândalos de corrupção e do governo do MDB.” / J.F.


VOLTAR PARA O ESTADÃO