05.01.2019 | 08h25

A turma do barulho

Na primeira semana de governo é possível ver no governo dois blocos: o daqueles que trabalham em silêncio, ou anunciam as medidas técnicas que pretendem tomar, ou a turma que gosta de fazer barulho, seja em declarações ou nas redes sociais, nota João Domingos em sua coluna no Estadão, acrescentando que o presidente Jair Bolsonaro joga no segundo time, juntamente com nomes como o chanceler Ernesto Araújo e a ministra Damares Alves, da Família.

“Bolsonaro não abandonou o discurso de campanha nem na posse nem depois dela. É provável que vá mantê-lo por um bom tempo, enquanto sentir necessidade de falar as coisas que seu eleitor gosta de ouvir: liberação da posse e flexibilização do porte de armas, fim do auxílio-reclusão, adeus ao indulto de fim de ano para presos, manutenção da prisão para condenados em segunda instância, salvo-conduto para policiais no enfrentamento com bandidos, ataque à corrupção, combate ao PT “, escreve.


VOLTAR PARA O ESTADÃO