05.01.2019 | 09h39

A politização da segurança

A tensão permanente com o PT levou Jair Bolsonaro a postar, no Twitter, uma nota sobre o envio dos homens da Força Nacional de Segurança para o Ceará. Escreveu que “apesar do governo do Ceará ser do PT e realizar forte oposição a nós, jamais abandonaríamos o povo cearense nesse momento de caos”. Como se fosse um favor, ou se pudesse ser diferente em se tratando do presidente da República, independentemente do partido do governador.


Camilo Santana respondeu em nota dizendo que “a eleição já passou”. E que os interesses da população têm de estar acima de interesses partidários e pessoais. “De minha parte a relação será sempre de respeito e cooperação”, escreveu o governador. / V.M.

VOLTAR PARA O ESTADÃO