03.09.2018 | 17h21

A Opinião do Estadão: ‘Sem ameaça à meta fiscal’

“Resultados primários melhores do que os do ano passado têm sido registrados pelo governo central e pelos governos regionais. No central, o déficit primário ficou em R$ 68,7 bilhões no período janeiro-julho de 2017 e baixou para R$ 31,4 bilhões nos sete primeiros meses de 2018. As estatais, de sua parte, elevaram seu superávit primário de R$ 1,1 bilhão para R$ 2,2 bilhões. Já os governos regionais, embora tenham apresentado resultado pior neste ano, mantiveram suas contas em ordem (o superávit primário diminuiu de R$ 16,3 bilhões para R$ 11,4 bilhões)”, diz trecho do editorial do Estadão, nesta segunda, 3.


Mais conteúdo sobre:

déficit primário
VOLTAR PARA O ESTADÃO