30.04.2018 | 12h01

A Opinião do Estadão: Paradoxo eleitoral

“Ou seja, um cidadão que foi condenado definitivamente por um crime está impedido de votar até o total cumprimento da sanção que lhe foi imposta. Já o cidadão preso provisoriamente, isto é, aquele que ainda não teve sua culpa certificada por sentença transitada em julgado, está autorizado a votar.”

Trecho de editorial do Estadão desta segunda-feira, 30.


Mais conteúdo sobre:

Editorial Estadão
VOLTAR PARA O ESTADÃO