12.02.2019 | 07h00

A Opinião do Estadão: Governar não é tuitar

Bolsonaro precisa o quanto antes se dar conta de que não está mais em campanha, quando todos os problemas do País podiam ser “resolvidos” por meio de slogans digitados em redes sociais, sob orientação dos filhos. Governar é muito diferente de tuitar: demanda presença, articulação, lucidez – isto é, tudo o que Bolsonaro, convalescente e a reboque dos filhos e dos aliados mais radicais, ainda não conseguiu oferecer ao País.

Trecho de editorial do Estadão desta terça-feira, 12.


Mais conteúdo sobre:

Editorial Estadão
VOLTAR PARA O ESTADÃO