01.07.2018 | 07h00

A Opinião do Estadão: Fuzuê

“Previsto para ser o guardião da Constituição Federal e o cume hierárquico do Poder Judiciário, o Supremo Tribunal Federal (STF) deixou de ser uma casa onde se pratica o Direito, para se transformar numa casa de jogos, onde o que importa é ganhar e não interpretar e aplicar corretamente as leis. Sem o mínimo pudor, juízes da Suprema Corte operam os mais variados estratagemas para conseguir que as causas sob sua competência tenham o resultado que almejam.”

Trecho de editorial do Estadão deste domingo, 1º.


Mais conteúdo sobre:

Editorial Estadão
VOLTAR PARA O ESTADÃO