10.03.2019 | 08h00

A Opinião do Estadão: Bagunça não é prerrogativa

“Não há dúvida de que a Petrobrás tem direito de criar um fundo para projetos sociais e educativos. Precisamente porque ela tem esse direito, a empresa pôde celebrar um acordo com autoridades norte-americanas, destinando uma parcela das indenizações a um fundo com fins educativos a ser criado no Brasil. Mas o Ministério Público não tem competência para participar da criação desse fundo e tampouco de sua gestão. É, portanto, muito estranho que a Justiça Federal de Curitiba tenha homologado o tal acordo entre MPF e Petrobrás”, diz trecho de editorial do Estadão deste domingo, 10.


Mais conteúdo sobre:

Petrobrasministério públicofundo
VOLTAR PARA O ESTADÃO