09.09.2018 | 07h00

A Opinião do Estadão: A urgência da política

“Avizinha-se uma tempestade perfeita. Em meio a uma onda de desconfiança em relação aos países emergentes, especialmente Argentina e Turquia, o Brasil irá às urnas daqui a quatro semanas sem ter uma perspectiva clara sobre o que será feito em relação à gravíssima crise fiscal do País, uma bomba armada para explodir no colo do próximo presidente. Pior: alguns dos candidatos mais bem posicionados na disputa até aqui ou não levam muito a sério a urgência de amplas reformas e medidas de austeridade ou então são visceralmente hostis a qualquer iniciativa que vise a interromper a escalada dos gastos públicos.”

Trecho de editorial do Estadão deste domingo, 9.


VOLTAR PARA O ESTADÃO