16.04.2018 | 06h06

A Opinião do Estadão: A bomba fiscal e a LDO

“Desarmar a bomba fiscal para evitar um desastre no primeiro ano do próximo governo é uma das tarefas mais complexas e mais assustadoras da recém-nomeada equipe econômica. Se tudo correr de acordo com as previsões oficiais, o presidente que será eleito em outubro chegará ao fim de 2021, terceiro ano de seu mandato, ainda com um déficit de R$ 70 bilhões nas contas primárias do governo central. Não terá ainda conseguido um centavo, portanto, para pagar os juros e frear o crescimento da dívida pública. Será impossível afastar o risco da insolvência, em 2022 ou pouco mais tarde, sem a reforma do sistema de aposentadorias e pensões.”

Trecho de editorial do Estadão nesta segunda-feira, 16.


Mais conteúdo sobre:

bomba fiscalOrçamento
VOLTAR PARA O ESTADÃO