01.11.2018 | 17h10

A Opinião do Estadão: A agenda está no rating

“O péssimo estado das contas públicas e o baixo crescimento econômico motivaram o rebaixamento da nota de crédito do Brasil, lembrou em Nova York a diretora de ratings soberanos da Standard & Poor’s (S&P), uma das principais agências de classificação de risco. O presidente eleito poderá rejeitar palpites do mercado e desprezar opiniões de agências, mas ele e seu principal conselheiro econômico têm prometido cuidar com urgência dos dois problemas.”

Trecho de editorial do Estadão desta quinta-feira, 1.


Mais conteúdo sobre:

Editorial Estadão
VOLTAR PARA O ESTADÃO