20.02.2019 | 18h21

A ofensiva do governo contra os anistiados

O governo de Jair Bolsonaro, que entrou na onda de “eleger” inimigos, aparentemente colocou os anistiados políticos no balaio dos desafetos. O golpe mais recente veio nesta quarta-feira, 20, com a revelação de que o governo quer que anistiados passem a contribuir para a seguridade social nos mesmos termos da contribuição do aposentado e pensionista do RPPS da União. Além disso, a proposta veda a possibilidade de recebimento simultâneo da reparação com proventos de aposentadoria.

Já no Ministério das Mulheres, Famílias e Direitos Humanos, responsável pelos dados da Comissão de Anistia, é de onde vem a maior ofensiva. A ministra Damares Alves está conduzindo uma auditoria sobre os benefícios concedidos para averiguar anistiados que recebem sem critério técnico. No Congresso, há ainda a tentativa de criar uma CPI para investigar anistiados que contou com a assinatura de Flavio Bolsonaro, filho do presidente.


VOLTAR PARA O ESTADÃO