01.08.2018 | 20h53

A mão de Lula no isolamento de Ciro

Apesar de estar há 116 dias na prisão, Lula articulou a movimentação, executada pela cúpula do PT, para isolar Ciro Gomes, do PDT,  e abrir espaço para uma candidatura mais competitiva do partido à Presidência. Como o substituto de Lula só deve ser lançado 20 dias antes da eleição, segundo reportagem da Folha, os petistas trabalharam para impedir que Ciro conseguisse se consolidar como principal nome da esquerda antes de o herdeiro petista ser conhecido.

Lula mandou recados por meio dos que o visitaram na prisão e avalizou várias manobras destinadas a “desidratar” Ciro: 1) o oferecimento a Manuela D’Ávila, do PC do B, da posição de vice-presidente na chapa do PT, quando era assediada pelo PDT; 2) a repreensão a governadores petistas que defendiam aliança com Ciro; 3) o uso de sua relação pessoal para influenciar o empresário Josué Gomes a negar o posto de vice de Alckmin; 4) a negociação da neutralidade do PSB na eleição nacional, afastando o partido do candidato do PDT. / J.F.


VOLTAR PARA O ESTADÃO