13.08.2018 | 11h36

‘Pressão’ da CNI no Congresso

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) atua supostamente para evitar que superfaturamento e sobrepreço virem agravantes no crime de fraude em licitações ou contratos, um novo tipo penal que será criado, afirma o Valor.

O MPF queria, na verdade, que eles fossem considerados crimes por si só, mas o relator do projeto no Congresso, João Arruda (MDB-PR), preferiu incluí-los apenas como agravantes. Segundo deputados, a CNI tem pressionado, em nome de construtoras, a comissão que discute o projeto. A Confederação nega.


Notícias relacionadas

Mais conteúdo sobre:

superfaturamentoCNICongresso
VOLTAR PARA O ESTADÃO