05.04.2018 | 10h44

A manobra de Cármen Lúcia

Se a ministra Cármen Lúcia tivesse priorizado o julgamento das ações que questionam a execução de pena após condenação em segunda instância, o destino de Lula seria outro. Adicione na equação a “mira da baioneta”, escreve o colunista Bernardo Mello Franco em sua coluna desta quinta, 5, no Globo.

“O resultado seguiu o roteiro desenhado por uma autoridade sem Twitter: a ministra Cármen Lúcia”, afirma. E todo mundo focando na esfinge Rosa Weber…


Mais conteúdo sobre:

Cármen LúciaLula
VOLTAR PARA O ESTADÃO