02.09.2018 | 11h12

A lenta transmutação de Haddad

Não é que o PT ainda acredite em alguma chance de viabilizar a candidatura de Lula, mas a insistência no discurso é uma estratégia para reter os eleitores do ex-presidente. Em sua coluna na Folha, Bruno Boghossian analisa que o papel de Fernando Haddad de porta-voz de Lula ainda durará alguns dias, até que ele se assuma como candidato. “A estratégia obriga Haddad a largar em marcha lenta. O ex-ministro de Lula deve absorver uma fatia considerável de votos do padrinho, mas precisará demonstrar fôlego para retê-los por cinco semanas.”


Mais conteúdo sobre:

Fernando HaddadPTLula
VOLTAR PARA O ESTADÃO