31.08.2018 | 18h24

A investigação do esquema dos Gomes no CE

O presidenciável Ciro Gomes diz que não é investigado pela La­va-Jato, mas a Lava-Jato, segundo reportagem da Veja desta sexta, 31, está no seu encalço. A pedido da Procuradoria da República no Ceará, a polícia vem apurando um esquema de extorsão contra empresários pelo governo do Ceará. De acordo com a revista, entre os suspeitos  figuram um dos irmãos, o marqueteiro e um ex-empre­gador de Ciro Gomes — e, agora, apareceu uma testemunha dizendo que o próprio Ciro participava do esquema.

“Ciro sabia e participava, com certeza”, declara Niomar Calazans,  ex-primeiro-tesoureiro do Pros, ao qual Ciro Gomes e seu irmão Cid foram filiados de 2013 a 2015. Calazans afirma que o esquema de extorsão era usado para financiar campanhas eleitorais. Ele também diz que os irmãos Gomes pagaram R$ 2 milhões para “comprar” o controle do Pros nas eleições de 2014 no Ceará e, desde então, passaram a orientar as ações locais da sigla. Os irmãos Ciro e Cid não responderam aos pedidos de entrevista para comentar o caso. / J.F.


VOLTAR PARA O ESTADÃO