04.11.2018 | 11h26

A ‘independência’ de Janaína

Em perfil da advogada Janaína Paschoal, eleita deputada estadual pelo PSL em São Paulo com dois milhões de votos, recorde histórico entre os parlamentares do País, as jornalistas Anna Virgínia Ballousier e Gabriela Sá Pessoa, da Folha, dizem que, apesar de quase ter se tornado vice de Bolsonaro, ela afirma que não se alinhará automaticamente com ele.  “Diz ela que, se Bolsonaro fizer algo como retirar ‘conquistas da comunidade homossexual, LGBT, o que vocês quiserem chamar’, será contra.”

Fã declarada do juiz Sergio Moro, Janaína aplaude a indicação dele para o Ministério da Justiça. “Achei o máximo! Tô tão feliz”, afirma. Para ela, “é tolo dizer que Moro agiu com interesses políticos ao condenar Lula à prisão, em 2017, ou ao levantar o sigilo sobre a delação do ex-ministro petista Antonio Palocci, a dias do pleito”. Segundo Janaína, sua principal preocupação como deputada será com a segurança pública. Ela diz que ‘não tem como enfrentar um revólver com buquê de flores”. Mas, em sua visão, chegar atirando em quem não apresenta risco imediato “seria só execução”. / J.F.


VOLTAR PARA O ESTADÃO