15.02.2019 | 22h10

A incrível capacidade do governo de alimentar crises

Se o presidente Jair Bolsonaro não queria mais ter o ministro Gustavo Bebianno na sua equipe, já deveria tê-lo demitido logo depois de chamá-lo de mentiroso nas redes sociais e na entrevista dada a TV Record, ainda na quarta-feira. Era seu direito legítimo e dentro das prerrogativas de presidente da República. Perdeu a confiança, tchau.

Ao arrastar, porém, esse processo, esturricando o ministro em praça pública, torra junto parte do seu capital político e prolonga uma crise que poderá ter consequências negativas se Bebianno decidir sair atirando, por exemplo. E justamente no momento em que precisa começar a votar a reforma da Previdência. Para um governo que tomou posse há apenas um mês e meio, a capacidade de alimentar crises parece ser imensa. /M.M.


Mais conteúdo sobre:

Bebianno
VOLTAR PARA O ESTADÃO