29.05.2018 | 07h35

A hora de parar

Os caminhoneiros estão perdendo o timing de encerrar a paralisação, contabilizar as concessões que obtiveram e capitalizar o sucesso inicial, com apoio popular, que o movimento alcançou.

Eliane Cantanhêde fala sobre isso e sobre os riscos de a greve virar um movimento cooptado por grupos que querem derrubar o governo. “A paralisação deixa de ser justa, perde a legitimidade e passa a ser um ataque oportunista, não a um governo agonizante, mas às instituições e a toda a sociedade”, escreve em sua coluna no Estadão.


VOLTAR PARA O ESTADÃO