02.04.2018 | 06h53

A hora da indignação

O julgamento do habeas corpus de Lula não será um evento qualquer: trata-se de dizer se a lei vale ou não para todos.

É o que defende o professor de Filosofia Denis Lerrer Rosenfield em seu artigo no Estadão. “Nenhum engano é aqui possível. Se passar o habeas corpus de Lula, livrando-o da prisão após a condenação definitiva em segunda instância, o próximo passo será a tentativa do petista de conseguir um artifício jurídico do mesmo tipo habilitando-o à candidatura presidencial”, escreve.


Mais conteúdo sobre:

STFprisão em segunda instância
VOLTAR PARA O ESTADÃO