03.01.2019 | 14h47

A hora da disputa no Congresso

Passada a posse de Jair Bolsonaro e de seus ministros, as atenções de voltam para as negociações em torno da disputa pela Presidência da Câmara e do Senado. A escolha dos futuros presidentes será feita em fevereiro, mas as articulações se desenvolvem à luz do dia.

Na Câmara, depois de atrair o apoio do PSL, Rodrigo Maia (RJ), deu um passo significativo para garantir sua reeleição. Ele também tem o significativo apoio dos partidos do Centrão. No Senado, se não for revertida a decisão do ministro Marco Aurélio Melo, ordenando que a votação seja feita de maneira aberta, o cenário é mais nebuloso. Com voto secreto, hoje Renan Calheiros (MDB-AL), é o favorito. Se o voto for fechado, Tasso Jereissati (PSDB-CE) e alguma outra candidatura, como a do senador Esperidião Amin (PP-SC), podem se fortalecer. /M.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO