18.09.2018 | 07h16

A genuflexão de Haddad

Fernando Haddad, tal qual na genuflexão de cardeais e bispos diante do Papa, beijou o anel de Lula e abraçou o petismo velho, analisa Alberto Bombig no Estadão.

“O moço da ciclovia envelheceu 20 anos em menos de uma semana. Virou um político velho, fazendo uma política velha, sem autocrítica e sem transparência, desperdiçando uma grande chance de se contrapor de verdade ao radical Bolsonaro, aquele que nega a história e não admite o contraditório”, escreve.


VOLTAR PARA O ESTADÃO