09.10.2018 | 16h06

A ficção eleitoreira de Haddad

Agora que Fernando Haddad está garantido na disputa do segundo turno, já não convém a ele se mostrar tão próximo a Lula. O objetivo é evitar um provável desgaste com a peregrinação constante a Curitiba, onde o chefão petista está preso. Como costuma ocorrer em todos os pleitos, na hora de ir atrás dos eleitores, o PT coloca “embaixo do tapete” tudo o que pode trazer riscos para seus candidatos.

Segundo a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, Lula fez chegar ao partido uma orientação para Haddad parar de visitá-lo na prisão semanalmente, como tem acontecido, e se concentrar na campanha. “Foi um recado para mim: manda o Haddad fazer campanha, não precisa mais vir aqui”, disse Gleisi, de acordo com o Broadcast Político./ José Fucs

 


Mais conteúdo sobre:

Fernando HaddadPTLulaGleisi
VOLTAR PARA O ESTADÃO