23.10.2018 | 15h13

A festa dos nanicos

O segundo turno eleitoral poderá consagrar os partidos menores, entregando a eles o controle de Estados poderosos. A tendência de rejeição aos políticos tradicionais já tinha aparecido nas eleições municipais de 2016, quando o PHS levou Belo Horizonte, o PRB ficou com o Rio e o PMN venceu em Curitiba, por exemplo.

Agora, o PSC poderá ter os governos do Rio e do Amazonas. O PSL pode ficar com Santa Catarina, Rondônia e Roraima. O Novo lidera as pesquisas em Minas Gerais. O PHS levou Tocantins já no primeiro turno. /M.M.


Mais conteúdo sobre:

PSLPSCNovoPHSPMN
VOLTAR PARA O ESTADÃO