27.09.2018 | 07h16

A falta de lideranças

Qual o fenômeno em curso na disputa eleitoral: uma polarização efêmera ou o esfacelamento do que se chama “centro”? Em sua coluna no Estadão, William Waack diz apostar na segunda hipótese, que, na sua descrição, tem como força motriz a negativa de uma parcela da sociedade a qualquer apelo ao que seja “razoável”. “Dignos apelos ao que se possa considerar “razoável” não surtiram nem me parece que surtirão efeitos a curto prazo. Talvez seja o momento histórico em que mais se deva lamentar nossa evidente falta de verdadeiras lideranças”, escreve.


VOLTAR PARA O ESTADÃO