29.11.2018 | 13h31

A escolha no Meio Ambiente

Jair Bolsonaro adiou para a próxima semana o anúncio do futuro ministro do Meio Ambiente. Na mesa do presidente eleito hoje existem três nomes: Ricardo Salles, Xico Graziano e Ricardo Soavinski. O favorito para o posto é Salles, ex-secretário estadual de Meio Ambiente de São Paulo e líder do Movimento Endireita Brasil, e que tem o apoio de entidades importantes do setor produtivo do agronegócio, como a Sociedade Rural Brasileira (SRB), e de parte expressiva da bancada ruralista. Ele foi candidato a deputado federal pelo Novo, mas não se elegeu.

Já o ex-deputado federal Xico Graziano sofre resistências entre aliados de Bolsonaro pela sua atuação política dentro do PSDB e durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Ele conta com o apoio de ONGs ligadas aos movimentos ambientalistas. Já Soavinski, que corre por fora, é o atual diretor-presidente da Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná) e foi indicado a Bolsonaro pelo ex-ministro da Saúde Ricardo Barros e por sua mulher, a governadora do Paraná, Cida Borghetti, que não se reelegeu. Soavinski também tem o apoio do ex-ministro do Meio Ambiente Sarney Filho. /M.M.

 

 

Mais conteúdo sobre:

Meio AmbienteRicardo Salles
VOLTAR PARA O ESTADÃO