13.09.2018 | 08h04

A escolha do ‘menos pior’

O desgaste de PT e PSDB após a Lava Jato abriu a competição a novos atores no processo político e antecipou o apelo ao voto útil, transferindo ao eleitor a tarefa de escolher o “menos pior”. É esta a análise que o mestre em ciência política pela USP Vitor Oliveira faz no Estadão a partir do cenário mostrado pelas pesquisas.

“Contudo, estamos diante de um comportamento ainda mais sofisticado: informado pelas pesquisas de que seu candidato preferido possui menos chances no 2.º turno, o eleitor opta – já no 1.º turno – pela candidatura que minimiza o risco do pior cenário possível acontecer.”


VOLTAR PARA O ESTADÃO