20.08.2018 | 10h13

‘A eleição do celular contra a TV’

WhatsApp em crescimento, programa eleitoral na TV em declínio. Quem quiser chamar atenção dos eleitores neste ano vai precisar saber transitar entre as telas, afirma Maurício Moura, do grupo IdeiaBigData, à coluna de Sonia Racy no Estadão.

“Como a maioria esmagadora desses cidadãos participa de grupos (no WhatsApp), a discussão política será intensa fora da TV. Fiz uma pesquisa nacional, em abril, na qual 75% das pessoas disseram que já tinham recebido conteúdo político no Whats. E 90% dos consultados esperam receber material eleitoral durante a campanha. (…) Conclusão: daqui até outubro, ele vai concorrer diretamente com a televisão.”


VOLTAR PARA O ESTADÃO