16.02.2019 | 07h59

A demora na decisão não ajuda

Em sua coluna no Estadão, o jornalista João Domingos avalia que, ao protelar o desfecho da crise envolvendo o ministro Gustavo Bebianno, o próprio governo impede que ela seja superado. “A demora do presidente Jair Bolsonaro em tomar uma decisão sobre o afastamento ou não do advogado Gustavo Bebianno da Secretaria-Geral da Presidência não contribui em nada para debelar a maior crise política de seus 45 dias de administração”, escreve.

“Enquanto Bolsonaro pensa no que fazer, prevalecerá a impressão de que o grupo de militares que atua no governo trabalha para que não se mexa com o ministro. Ou, então, que Bebianno sabe de coisas demais e que há risco de, na saída, sair atirando”‘ avalia, defendendo que “a melhor solução para esse caso seria o afastamento imediato do ministro Bebianno. Se não em definitivo, pelo menos temporariamente, até que tudo seja esclarecido”.

 

 

Mais conteúdo sobre:

Crise BebiannoGustavo Bebianno
VOLTAR PARA O ESTADÃO