09.02.2019 | 17h58

A defesa do benefício abaixo do mínimo

O governo se prepara para defender o pagamento de benefícios assistenciais abaixo de um salário mínimo, um dos pontos considerados mais polêmicos da minuta de reforma da Previdência fechada pelo Ministério da Economia, mostra reportagem deste sábado do Estadão. A equipe de Paulo Guedes reuniu dados de 18 países nos quais esse tipo de benefício, que não exige contribuição de quem recebe, não está atrelado ao salário mínimo. A ideia é mostrar que, em vez de retirar direitos dos mais pobres, o governo está antecipando o pagamento de um benefício que não existe hoje.


VOLTAR PARA O ESTADÃO