05.12.2018 | 12h40

A culpa não é nossa

Os ministros Ronaldo Fonseca (Secretaria Geral) e Moreira Franco (Minas e Energia) procuraram desvincular o governo Michel Temer do aumento da extrema pobreza no Brasil de 2016 para 2017 (a posse de Temer se deu em maio de 16). Segundo a justificativa deles, o fato de 2 milhões de pessoas terem descido abaixo do nível da extrema pobreza nesse período seria consequência da recessão provocada pela política econômica de Dilma Rousseff.

O resultado, disseram em entrevista à TV Estadão, teria sido pior se não fosse a guinada feita por Temer que permitiu, segundo seus auxiliares, a retomada do crescimento, a queda da inflação e a volta, mesmo tímida, da criação de postos de trabalho. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO