26.10.2018 | 08h21

‘Efeito túnel’

“Vivemos uma conjuntura crítica, quem não sabe? Em alguns aspectos, sem paralelo na nossa História ou na trajetória de outras democracias jovens, menos ainda nas democracias do Atlântico Norte. Mas podem-se traçar paralelos com a maioria delas”, escreveu Lourdes Sola no Estadão.

Na opinião da colunista, a liderança de Jair Bolsonaro (PSL) nas pesquisas de intenção de voto, visto como o “defensor dos ricos” é atribuída às aspirações das classes médias emergentes.


VOLTAR PARA O ESTADÃO