24.10.2018 | 14h48

Cheque em branco

“A manutenção de distância confortável do candidato Jair Bolsonaro a quatro dias da eleição presidencial mostra como os votos cristalizados dos dois candidatos praticamente impedem uma reviravolta na reta final, a não ser que algo inacreditável aconteça”, escreveu Merval Pereira no Globo.

O colunista aponta que dificilmente a diferença entre os dois candidatos à Presidência será descontada e que o aumento da rejeição a Bolsonaro indica que ele, se eleito, não receberá um cheque em branco da população.


VOLTAR PARA O ESTADÃO