17.03.2018 | 12h28

Marcos Lisboa entra no debate sobre Marielle e critica ‘machos de pantufas’

O assassinato de Marielle Franco difereria dos outros por alvejar uma representante eleita. Por isso, seria um atentado contra a cidadania. A tese é defendida em artigo assinado em conjunto pelo economista Marcos Lisboa e o jornalista Geraldo Samor no Brazil Journal.

Os autores criticam o silêncio de candidatos “que se dizem machos e carregam a bandeira do combate à violência”, numa alusão indireta a Jair Bolsonaro, que não se manifestou sobre o assassinato. “Não surpreende o silêncio dos candidatos que se dizem machos e carregam a bandeira do combate à violência e ao enfrentamento dos graves problemas do país. São machos de pantufas. Coragem de verdade tinha a moça assassinada”, diz o artigo, que é uma rara (e surpreendente pelo tom incisivo) incursão de Lisboa por temas alheios à economia. /V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO